top of page

ANDES-SN cobra celeridade em processo destituição de reitor interventor da UFPB


E mais uma vez a luta contra as intervenções ditou a pauta na atuação do Sindicato Nacional. Nessa quarta-feira (17), o ANDES-SN participou de reunião no Ministério da Educação (MEC) para tratar do processo de destituição do reitor interventor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Valdiney Gouveia. Iniciado em 2020, o processo ainda não foi concluído e segue sem respostas do MEC. Pelo ANDES-SN, participaram a 1ª tesoureira, Jennifer Webb, e o 2° tesoureiro da Regional Nordeste II, Márcio da Silva, que também é docente da UFPB.


Nomeado arbitrariamente pelo governo de Jair Bolsonaro em 2020, o interventor tem inúmeras denúncias de casos de repressão e censura na UFPB, além de perseguição a entidades representativas e movimentos democráticos.


A diretora do ANDES-SN, Jennifer Webb, informou que o processo já está em andamento há bastante tempo e sem uma postura definitiva. "Nós já recebemos uma resposta do Ministério, mas essa resposta foi apenas da entrada do documento sem uma resposta efetiva de alguma ação. Após essa conversa esperamos avançar em algum sentido e devolver a autonomia plena desta universidade”, pontuou a 1ª tesoureira. 


O gerente de Projetos da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação, Fernando Antonio Matos, ouviu todas as questões levantas pela diretoria do ANDES-SN e defendeu o compromisso da autarquia com autonomia nas universidades. 


Por fim, 2° tesoureiro da Regional Nordeste II, Márcio da Silva reiterou a posição do ANDES-SN, pontuando que o processo já deveria estar concluído. “Um ano e meio de novo governo é tempo o suficiente para que esse e vários outros casos fossem avaliados. Precisamos dar fim a essas intervenções e a Lista Tríplice”, concluiu. 


O MEC prometeu realizar uma nova reunião em breve, com o intuito de encerrar o processo.


Fonte: ANDES-SN

コメント


bottom of page