top of page

Após mobilização docente, Unemat aprova Política de Prevenção e Combate ao Assédio

Reivindicação por uma política permanente contra o assédio moral e sexual na universidade fez parte da Campanha Salarial promovida pela seção sindical do ANDES-SN na Unemat em 2023

Foto: Nataniel Zanferrari

O Conselho Universitário (Consuni) da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) aprovou a Política de Prevenção e Combate ao Assédio Moral e Sexual da instituição. A deliberação da resolução ocorreu em sessão ordinária nos dias 28 e 29 de novembro. Esse tipo de política cria normas e procedimentos a serem adotados em casos de assédio na instituição, além de desenvolver ações diversas para a conscientização, o acolhimento e a proteção nas relações de trabalho e educacionais.


A Associação de Docentes da Unemat (Adunemat – Seção Sindical do ANDES-SN) encampou a luta por uma política permanente contra o assédio moral e sexual na universidade durante a Campanha Salarial dos e das Docentes da Unemat, em 2023. Em abril deste ano, a entidade apresentou formalmente a pauta à reitoria e exigiu a elaboração de uma política institucional de combate ao assédio em todo o ambiente de trabalho na Unemat, com representação dos segmentos docente, técnico e discente. A seção sindical do ANDES Sindicato Nacional participou, ainda, da Comissão Especial que elaborou uma minuta de resolução sobre ao tema.


Segundo Domingos Sávio Garcia, presidente da Adunemat SSind., a aprovação da resolução definindo uma política de prevenção e combate ao assédio moral, sexual e a qualquer outra forma de discriminação representa uma conquista expressiva para a comunidade acadêmica, que enfrentou desafios relacionados a denúncias de assédio ao longo do último período. "Queremos construir um ambiente adequado à universidade, de respeito e de tolerância", disse.


Para ele, a universidade deve conviver com a diversidade em todos os aspectos e esta política irá colaborar para isso. "Nós queremos que essa resolução positiva e importante se desdobre em ações concretas. Essa é a nossa expectativa e é isso que nós vamos cobrar da universidade", reforçou.


Nas redes sociais, a Adunemat SSind. reforçou que a aprovação da política de combate ao assédio moral e sexual vai além de atender às reivindicações da categoria docente. "Ela representa um avanço significativo no desenvolvimento de um ambiente de trabalho saudável e justo para todos os docentes da Unemat, sem distinção", enfatizou a entidade.


A seção sindical ainda agradeceu às e aos docentes pela participação ativa na luta da Campanha Salarial de 2023, que resultou na aprovação desta política. A Adunemat SSind. se comprometeu a exigir ações sólidas e efetivas em prol de condições dignas de trabalho e por uma universidade que promova o desenvolvimento intelectual em um ambiente livre de assédio.


Fonte: Adunemat SSind., com edição e acréscimo de informações do ANDES-SN

Comments


bottom of page