top of page

Belém sedia III Seminário Intercultural do ANDES-SN nos dias 31 de março e 1º de abril



O ANDES-SN realizará, nos dias 31 de março e 1º de abril, o III Seminário Intercultural “Direito à vida, democracia e desenvolvimento socioambiental”, na Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém (PA). O encontro nacional discutirá a transição socialista das matrizes energética e tecnológica, articulando perspectivas de classe, gênero, raça, orientação sexual, etarismo e origem nacional.


A organização do evento é dos Grupos de Trabalho de Política de Classe, Questões Étnico-Raciais, Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS) e de Trabalho Política Agrária, Urbana e Ambiental (GTPAUA), e cumpre uma deliberação do 65º Conad do ANDES-SN, realizado em Vitória da Conquista (BA).


Durante dois dias, o seminário reunirá docentes, pesquisadores e pesquisadoras, especialistas e representantes de movimentos sindicais e sociais, que têm se dedicado aos estudos e às lutas contra as opressões, sobre as mudanças climáticas e pelo direito ao trabalho e a terra.


Na manhã de sexta-feira (31), após intervenção cultural e a mesa de abertura com saudação de representantes do ANDES-SN, do movimento estudantil quilombola e indígena da UFPA e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), terão início os debates com a mesa “Transição socialista das matrizes energéticas e tecnologia”.


No período da tarde, acontecerão as mesas “Racismo ambiental e as lutas antimachistas e antilgbtfóbicas no Campo e na Cidade” e “O Direito à Vida, Democracia e Desenvolvimento Socioambiental”.


No dia seguinte (1º), as atividades serão desenvolvidas no assentamento agroecológico Mártires de Abril, do MST. Na parte da manhã está previsto o debate “Sujeitos e Caminhos da Resistência em Meio à Crise do Capital”, com representantes de diversos movimentos sociais. Após o almoço, será realizada uma “Vivência Política e de Lazer” no assentamento.


Segundo Joselene Mota, 1ª vice-presidenta da Regional Norte II do ANDES-SN, o tema do seminário é algo latente não apenas para quem vive na região Norte, mas para toda a classe trabalhadora do Brasil e do mundo. “O seminário tratará da vida, da democracia, do desenvolvimento socioambiental em uma perspectiva humana socialista porque nós precisamos olhar os recursos naturais, da Amazônia Legal [Brasil, Peru, Bolívia, Equador, Colômbia Venezuela] que é o pulmão do mundo, como vida e um percurso natural que deve ser de todo mundo. Além disso, o evento abordará os impactos do avanço das empresas privatistas de matrizes energéticas na vida das mulheres ribeirinhas, extrativistas, indígenas, quilombolas e também nos grupos da diversidade de gênero que também acabam sendo invisibilizados com essa política de genocídio”, disse.


Confira a programação do III Seminário Intercultural do ANDES-SN:

31 de março (sexta-feira)

8h – Credenciamento no Auditório “José Vicente Miranda”, no Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ) da UFPA.

8h45 – Intervenção Cultural, Exposição de fotografias e Feirinha de Microempreendedores

9h - Mesa I – Abertura e Saudação. Edivania Alves (ADUFPA), Rivania (ANDES-SN), Joselene Mota (ANDES – REGIONAL NORTE II), Marcos Soares (SINDITIFES), Representação Estudantil Quilombola da UFPA, Representação Estudantil Indígena da UFPA (Rodrigo Nascimento) e Jane Cabral (MST).

10h - Mesa II – Transição socialista das matrizes energéticas e tecnologia. José Domingues (UFMT), Cecília Feitoza (AAC), Movimento Xingu, Charles Trocate (MAM) e Ana Laíde Correa (Movimento Xingu Vivo).

13h – Almoço

15h - Mesa III – Racismo ambiental e as lutas antimachistas e antilgbtfóbicas no Campo e na Cidade. Zélia Amador de Deus (ADIS) e Emilly Cassandra (Grupo De Resistência Travestis e Transexuais da Amazônia – GRETA)

17h30 - Mesa IV – O Direito à Vida, Democracia e Desenvolvimento Socioambiental. Vanuza Cardoso (Associação Quilombo do Abacatal), Lawrence Stivalet (UFBA) e Ruth Almeida (UFRA).

19h45 – Programação Cultural no Hotel Beira Rio (Próximo à UFPA)


1º de abril (sábado)

8h – Translado da UFPA para o Assentamento agroecológico Mártires de Abril – MST.

9h – Mesa V – Sujeitos e Caminhos da Resistência em Meio à Crise do Capital. Ângela Mendes (Comitê Chico Mendes) ADUFPA; GTPCEGDS Nacional; GTPAUA Nacional, MAB, CPT, SDDH, MST, Indígenas, LGBTQIA +, Movimento Quilombola, Movimento de Mulheres, Pessoas com Deficiência.

12h – Almoço

14h – Vivência Política e de Lazer no Assentamento agroecológico Mártires de Abril- MST

17h15 – Regresso para a UFPA


Fonte: ANDES-SN

Comments


bottom of page