top of page

Curso de Formação do ANDES aprofundou debate sobre reação aos ataques neoliberais e da ultradireita

Para discutir a educação superior e a organização de trabalhadores e trabalhadoras na América Latina (AL), o ANDES Sindicato Nacional realizou nos dias 1 e 2 de dezembro o Curso Nacional de Formação Política e Sindical. A atividade foi organizada pelo Grupo de Trabalho de Política e Formação Sindical (GTPFS) do Sindicato Nacional e contou com a presença de cerca de 60 participantes, além de convidados e convidadas internacionais.

Durante os dois dias, palestrantes contribuíram para ampliar a compreensão dos pontos comuns de ataques à educação pública e gratuita e à classe trabalhadora na AL e ampliar a resistência em diálogo com setores classistas e combativos dos países latino-americanos. As reflexões resultantes irão instrumentalizar a luta e trarão novas perspectivas para 2024.


Na tarde do dia 1, aconteceu o painel “Educação Superior e ofensiva da extrema direita na América Latina”, com Roberto Leher (Universidade Federal do Rio de JaneiroJ) e Maria de la Luz Arriaga Lemus (Universidad Nacional Autónoma de México). Na sequência, iniciou o debate “Educação Superior e Organização dos/as Trabalhadores/as”, com Osvaldo Coggiola (Universidade de São Paulo) e Sara Raquel López Cristaldo (Universidad Nacional de Asunción, Paraguai).


No dia 2, pela manhã, ocorreu a atividade sobre “organização dos/as trabalhadores/as na América Latina”, com Luis Bonilla-Molina (Centro Internacional de Investigación Otras Voces en Educación). Em seguida, os e as participantes se dividiram em grupos de trabalho. O encontro foi finalizado com a apresentação das sínteses das discussões.


Para Luis Eduardo Acosta, 2º vice-presidente do ANDES-SN, foi um encontro importante, porque mostrou um caminho ao ANDES-SN para avançar na sua inserção internacional. “Os convidados ajudaram bastante trazendo, no caso da companheira mexicana, a experiência de organização no México, da companheira paraguaia, a organização sindical no Paraguai. E tivemos também a participação de um companheiro venezuelano, Bonilla, que tem uma visão bem abrangente, não apenas latino-americana, que também contribuiu bastante e ajudou também a pensar, não apenas a inserção internacional do nosso Sindicato, mas, inclusive, a construção, no próximo ano, do Congresso Mundial contra o Neoliberalismo Educativo”, comentou. O evento será realizado no Brasil e deverá ocorrer no segundo semestre de 2024. O ANDES-SN integra a organização da atividade mundial.


Acosta, que também é da coordenação do GTPFS, avaliou que as e os docentes saíram do Curso empoderados para avançar no processo de inserção do ANDES-SN em um campo internacional. Uma preocupação pautada durante o encontro foi o avanço da ultradireita no mundo. “Esse foi um tema bastante importante. O companheiro Roberto Leher fez uma importante reflexão sobre o quadro da América Latina, particularmente agravado, e muito, com o resultado das eleições na Argentina, que agrega mais um elemento de dificuldades, junto com o nosso bolsonarismo e com a situação chilena por exemplo, de como o neoliberalismo está entrelaçado com estas experiências neo-fascistas, eliminando, inclusive, o tecido democrático de nossas sociedades e abrindo espaço para estas experiências neo-fascistas na América Latina e também no mundo todo. Isso reforça, portanto, a necessidade de nós trabalhadores nos articulamos internacionalmente para enfrentar esta situação”, acrescentou o diretor do Sindicato Nacional.


Fonte: ANDES-SN

Comments


bottom of page