top of page

Docentes da UnDF avançam na organização da categoria e fundam a SindUnDF SSind

A luta organizada da categoria no Distrito Federal escreveu mais um capítulo importante. Em assembleia geral no dia 24 de agosto, docentes da Universidade do Distrito Federal (UnDF) consolidaram o processo de criação da Seção Sindical dos Docentes da Universidade do Distrito Federal, a SindUnDF.


A nova Seção Sindical do ANDES-SN nasce com a tarefa de fortalecer a resistência e o enfretamento a problemas identificados na instituição. Fundada em 2021, a UnDF teve o primeiro grupo de docentes empossado em 2023. Ali, começou o trabalho para superar gargalos como a falta de autonomia universitária, agravada pela falta de transparência e coerência nas políticas e determinações administrativas.


Também a omissão no atendimento a direitos básicos de docentes e estudantes - como alimentação e transporte - tornaram ainda mais tensas as relações com a gestão administrativa da universidade.



Vencidas as exigências legais para o avanço da organização sindical, em 24 de agosto foi oficializada a fundação da Seção Sindical dos Docentes da Universidade do Distrito Federal- SindUnDF SSind – uma Seção Sindical do ANDES-SN que tem por objetivo lutar pelos direitos dos e das docentes e por uma UnDF mais democrática. A primeira direção eleita em caráter pro tempore ficou assim definida:

Bruno Couto - Presidente Kíssila Mendes – Vice-Presidente Gunter Amorim – Secretário Geral Antônio Pereira – Tesoureiro Geral Paloma Maroni – Tesoureira Geral Adjunta


Para o presidente pro tempore da SindUnDF SSind., a luta dos e das docentes da UnDF é também pelo direito à educação, por parte da população do Distrito Federal. “Poucos meses após a posse dos primeiros nomeados, os docentes da Universidade do Distrito Federal já estão organizados e mobilizados na luta não só pelos seus próprios direitos, mas também pelos direitos dos discentes e de toda a população do DF. Afinal, uma universidade distrital pública de qualidade é um direito de todos, o que passa, necessariamente, por um corpo docente forte e autônomo e por uma gestão institucional democrática”, avalia. E completa: “A Seção Sindical dos Docentes da UnDF – ANDES-SN nasce com o objetivo de lutar ativamente por uma universidade que cumpra esses requisitos e se torne uma referência regional e nacional de ensino superior público de qualidade”.


Bruno Couto ressalta ainda que, embora a fundação da organização sindical tenha sido concluída, a atual gestão da Reitoria da UnDF continua ignorando a nova entidade e se nega a dialogar com a representação dos e das docentes da Universidade do Distrito Federal.


Após acompanhar todo o processo, levando apoio e orientações necessárias, a presidenta em exercício do ANDES-SN, Raquel Dias, aponta o fortalecimento do ANDES-SN como instrumento de conquistas e avanços. “O ANDES-SN, como legítimo representante da categoria docente das instituições de ensino superior, com cerca de 70 mil sindicalizados e sindicalizadas, e mais de 120 seções sindicais espalhadas por todo o país, se fortalece a cada dia com a criação de novas seções sindicais, a exemplo da SindUnDF, e também, com o retorno de seções sindicais para base do Sindicato Nacional, como ocorreu com a Adufc", afirma Raquel.


A presidenta em exercício do ANDES-SN destaca, ainda, os desafios do momento, o que reforça a necessidade da atuação unitária e organizada. “É muito importante apoiar todas as ações de luta e também a organização dos e das docentes em defesa da universidade pública, gratuita, laica, socialmente referenciada, bem como em defesa da autonomia universitária, da democracia, pelo fim da lista tríplice, em defesa da carreira e, nesse momento principalmente, em que docentes se encontram numa luta pela recomposição salarial, pela recomposição do orçamento, em pela valorização da carreira”, reforça.


Comments


bottom of page