Em quarta semana de protestos, servidores marcham em Brasília contra a PEC 32



Há quase um mês realizando protestos na capital federal, nessa quarta-feira (6) servidores e servidoras públicas de diversas categorias fizeram uma passeata na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF). A marcha contou com a presença do funcionalismo das esferas federal, estadual e municipal e integra a Jornada de Lutas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32, conhecida como reforma Administrativa. A jornada é organizada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), do qual faz parte o ANDES-SN, junto com o Fórum das Centrais Sindicais.


Os e as manifestantes concentraram-se por volta das 10h, no Espaço do Servidor, em frente ao Bloco C. De lá, saíram em passeata até o Anexo II, na Câmara dos Deputados e na sequência, foram até a Praça dos Três Poderes, carregando uma faixa gigante em defesa dos serviços públicos.


“Trata-se de um plano de destruição completa do serviço público que vai atingir a saúde, a educação e, principalmente, a população mais pobre”, destacou Rivânia Moura, presidenta do ANDES-SN.


Como tem ocorrido nas últimas quatro semanas, não faltaram energia e disposição para protestar contra a reforma Administrativa e pressionar parlamentares para votarem contra esse projeto de destruição dos serviços públicos. Com gritos de “Se votar, não volta”, as servidoras e os servidores mandaram mais recado direto aos deputados e às deputadas que apoiam a proposta ou ainda estão em indecisos.


“Hoje, nós realizamos mais uma grande mobilização. Essa caminhada sob sol quente mostrando muita resistência e muita luta. Nos mobilizaremos quantos dias forem preciso para derrubar de vez esta PEC e este governo”, concluiu Rivânia.



A professora Clarissa Rodrigues, que integra a Diretoria da Regional Leste e é sindicalizada à ADUFOP, participou mobilizações.

Confira outras fotos.


Mobilização

Após a passeata, no período da tarde, representantes das seções sindicais e da Diretoria Nacional do ANDES-SN participaram de um ato junto com entidades do setor da Educação, em frente ao Ministério da Educação. O protesto destacou os prejuízos que a PEC 32 irá trazer para escolas, universidades, institutos federais e cefets, seus trabalhadores e trabalhadoras e às comunidades escolares. Foram lembrados também os inúmeros ataques do governo Bolsonaro à Educação, com cerceamento da liberdade de cátedra, interferência na escolha de gestores, desmonte de programas, cortes orçamentários e de bolsas de pesquisa. Enquanto isso, servidores e servidoras de outras categorias seguem com protesto em frente ao Anexo II da Câmara dos Deputados.


Assim como nas semanas anteriores, na tarde de segunda (4) e manhã de terça (5), os e as manifestantes foram ao Aeroporto de Brasília (DF), recepcionar as e os parlamentares que chegavam à capital federal. Ainda na terça, integraram ato realizado por estudantes que participam do I Fórum Nacional de Educação Superior Indígena e Quilombola. Na sequência, servidoras e servidores foram ao Congresso Nacional visitar gabinetes e protestar em frente ao Anexo II da Câmara.


A luta continua Ainda nesta semana está previsto um protesto, na manhã de quinta-feira (7), em frente ao Ministério da Economia. Os e as manifestantes sairão do Espaço do Servidor e seguirão em marcha até o bloco P, onde trabalha o chefe da Pasta, ministro Paulo Guedes, responsável pela proposta de desmonte dos serviços públicos e ataque aos servidores e servidoras. À tarde, devem seguir as atividades de pressão junto às e aos parlamentares na Câmara dos Deputados.


Já à noite, o ANDES-SN realizará uma projeção de imagens da campanha nacional “Defender a Educação Pública, essa é a nossa escolha!”, tanto no Museu Nacional quanto na Rodoviária de Brasília, no Plano Piloto. Serão projetadas também mensagens contra a PEC 32.


Já para a próxima semana, estão previstas novas manifestações na capital federal. A avaliação é que, por não contar com os votos necessários para a aprovação da Reforma Administrativa, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), planeja esperar pelo menos até o dia 13 para pautar o texto para a votação pelo Plenário da Câmara.


“Na próxima semana vai ser maior, teremos mais gente em Brasília (DF)”, afirmou a presidenta do ANDES-SN, ressaltando que a mobilização tem sido fundamental para impedir que a PEC 32 avance no Congresso Nacional. Nessa quarta (6), o ANDES-SN encaminhou nova convocação a todas as seções sindicais para enviarem representações para intensificar a pressão em Brasília. Confira aqui.


Fonte: ANDES-SN com informações da CSP-Conlutas