Enfrentamento ao bolsonarismo, aos ataques à educação e às opressões pautaram debate de conjuntura

65º Conad: Enfrentamento ao bolsonarismo, aos ataques à educação e às opressões pautaram debate de conjuntura

A primeira plenária temática do 65º Conad, realizada na tarde desta sexta-feira (15), teve como objetivo a atualização do debate do ANDES-SN sobre conjuntura e movimento docente. Cinco textos foram encaminhados ao Caderno de textos e seu anexo, mas apenas quatro foram apresentados na plenária por representantes de seus autores e suas autoras.


A presidenta do ANDES-SN, Rivânia Moura, defendeu a análise de conjuntura da Diretoria. A leitura é de que, a partir do cenário internacional, o Brasil continua sendo impactado pela crise capitalista, que teve início em 2008 e que se acirrou após 2020, com a sanha do Capital em se recuperar frente à pandemia de Covid-19 e à custa da vida dos trabalhadores e das trabalhadoras.


Rivânia destacou ainda o cenário de lutas latino-americano, com recentes eleições que concretizaram vitórias de governos do campo da esquerda, como Colômbia e Chile. A greve geral puxada pelas comunidades indígenas no Equador também foi mencionada como importante exemplo de como esse instrumento pode resultar em conquistas para a classe trabalhadora e derrotas ao neoliberalismo.


No âmbito nacional, a violência política, os ataques à Educação e aos direitos sociais e trabalhistas foram destacados, junto com a necessidade de unidade na luta para enfrentar o bolsonarismo nas ruas e nas urnas.


As professoras Eleonora Ziller (Adufrj SSind.) e Nicole Pontes (Aduferp SSind.) apresentaram o texto com título “O que a conjuntura impacta na vida docente: remover o governo criminoso de Bolsonaro para reconstruir e transformar o Brasil”, que abordou, entra outras coisas, a defesa da participação do ANDES-SN na Conferência Nacional Popular da Educação (Conape).


O texto “Lutar pelo poder popular! Pelo socialismo e o internacionalismo! Fora Bolsonaro! Construir a universidade popular!”, foi defendida pelo professor Luis Acosta (Adufrj SSind). Entre as temáticas abordadas pelo texto estão a luta pela Memória, Verdade e Justiça, que transformou lutadores em mártires na ditadura militar e a independência de classe, afirmando que a luta dos trabalhadores e das trabalhadoras não se esgota nas eleições.


A professora Alair Silveira (Adufmat-Ssind) defendeu o texto “Nas Ruas ou nas Urnas?”, criticando a tendência de defesa da candidatura de Lula como alternativa ao governo Bolsonaro.


Após as apresentações, foram abertas falas às e aos docentes presentes na plenária. As cinquenta inscrições foram intercaladas para garantir a paridade de gênero. As manifestações das e dos participantes aprofundaram os temas trazidos pelos e pelas proponentes como a interseccionalidade da luta de classe e das lutas contra o machismo, o racismo, o capacitismo e a lgbtqia+fobia. Também apontaram como a tarefa do Sindicato Nacional seguir na luta pela revogação da Emenda Constitucional 95 (do Teto dos Gastos ), em defesa da Educação pública, pela construção de uma greve do Setor da Educação e no combate ao bolsonarismo nas ruas e não apenas nas urnas.



A mesa da plenária foi presidida pela 1ª tesoureira da Regional Norte 2, Andréa Matos, acompanhada pelos diretores Luis Augusto Vieira, Fernando Prado e pela diretora Gardênia Lemos.


“Além da atualização sobre a guerra na Ucrânia, os ataques à educação pública e ao conjunto dos serviços e servidores e servidoras públicos implementados pelo governo federal e nos estados, bem como a necessidade de derrotar o governo Bolsonaro-Mourão, foram pautadas nas falas a articulação das lutas protagonizadas pelo ANDES-SN em relação ao movimento docente, centro do debate. A plenária também levantou questões fundamentais em relação ao enfretamento às opressões de gênero, sobretudo no que se refere às diversas formas de assédio, reafirmando a necessidade de avançar nessas pautas, no bojo da luta mais ampla por outro projeto societário”, explicou Andréa. Segundo a diretora do Sindicato Nacional, o acúmulo do debate dessa primeira plenária irá contribuir para as discussões e deliberações dos próximos espaços do 65º Conad.


Lançamento Ao final, a delegação da Adufmat-SSind apresentou o segundo caderno produzido pelo Grupo de Trabalho de Política e Formação Sindical (GTPFS) local, intitulado "Capital e Trabalho: ofensivas e resistências". O trabalho reúne análises acerca da identificação e sistematização de toda a legislação contrária aos interesses dos trabalhadores aprovadas nos últimos anos.


Grupos de Trabalho Dando continuidade aos trabalhos, na noite dessa sexta, delegadas, delegados, observadoras e observadores do 65º Conad se dividiram em grupos mistos de trabalho para debater sobre os textos de resolução do tema 2 – Planos de lutas geral e dos setores do ANDES-SN.


Fonte: ANDES-SN