Famílias sem terra sofrem atentado de grupo armado na Bahia


No último domingo (31), famílias do Assentamento Fabio Henrique, em Prado (BA), foram surpreendidas pela chegada de mais de 20 homens encapuzados e fortemente armados. Segundo as testemunhas, o grupo atirou em direção aos trabalhadores e trabalhadoras, organizados no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que estavam reunidos em uma assembleia.


Algumas pessoas foram feitas de reféns com armas de fogo apontadas para a cabeça. Os homens exigiram que as pessoas localizassem as e os dirigentes locais do MST. Os criminosos também atearam fogo em dois ônibus, depredaram casas e atiraram em três veículos de passeio.


Durante a ação criminosa, trabalhadoras e trabalhadores foram perseguidos e tiveram que fugir em direção a uma plantação de eucalipto, localizada próxima ao assentamento. Alguns indivíduos que participaram do atentado foram identificados pelas famílias.



Para a Direção Nacional do MST, “o atentado faz parte de uma ação coordenada, com apoio de grupos bolsonaristas a nível local e nacional, que financiam e recrutam milicianos, com objetivo específico de atacar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra”.


Conforme as agriculturas e os agricultores, os indivíduos frequentam o Casarão Brasil, um espaço de articulação de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, localizado no município vizinho, Teixeira de Freitas, a cerca de 80 Km de distância de Prado. O grupo conta com um site e páginas nas redes sociais que divulgam materiais em apoio a Bolsonaro.


O MST entrou em contato com Secretaria de Segurança Publica da Bahia, que reforçou o policiamento no assentamento e acompanhará o caso. Um Boletim de Ocorrência também foi registrado. Fonte: ANDES-SN *Com informações do MST. Fotos: MST Bahia