Organizações convocam ato para marcar 10 anos do massacre do Pinheirinho


O 22 de janeiro deste ano marca uma década da violenta desocupação na cidade de São José dos Campos (SP), que ficou conhecida como Massacre do Pinherinho. Na segunda-feira (10), centrais sindicais, entre elas a CSP-Conlutas, sindicatos, partidos políticos e diversas organizações dos movimentos sociais, populares e estudantis divulgaram a nota “Massacre do Pinheirinho completa 10 anos. Não esqueceremos!”, convocando para um ato nacional para lembrar a violência do Estado contra as milhares de famílias que moravam na ocupação.


Em 2012, o governador de SP, Geraldo Alckmin, e o prefeito de São José dos Campos, Eduardo Cury, ambos do PSDB, organizaram uma megaoperação com dois mil policiais fortemente armados para expulsar 1.800 famílias que ocupavam o terreno conhecido como Pinheirinho desde 2004. A ação, marcada por extrema violência e injustiça social, ganhou repercussão nacional e internacional.


Ato e semana de atividades O Comitê Organizativo deliberou a realização de um ato nacional em São José dos Campos, em frente ao terreno da antiga ocupação. A atividade está prevista para às 10 horas do dia 22 de janeiro (sábado). Durante a semana que antecederá o protesto serão realizadas várias atividades, a partir do dia 16, para marcar a data, como exposição de fotos, exibição do documentário “Elas Continuam Lutando”, promovido pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, lançamento do filme “Pinheirinho dos Palmares: a luta contra as injustiças”, panfletagens e ação nas redes sociais.


Também será feito um chamado para que possam ocorrer manifestações em memória aos 10 anos da desocupação do Pinheirinho nas ocupações populares pelo país, onde for possível. Uma próxima reunião organizativa ficou marcada para o dia 19 de janeiro, às 17h, via Google Meet.


Confira aqui a íntegra da nota “Massacre do Pinheirinho completa 10 anos. Não esqueceremos!”


*Fonte: CSP-Conlutas, com edição do ANDES-SN