10 de setembro: Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio



Todos os anos são registrados cerca de 12 mil suicídios no Brasil e mais de um milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o suicídio ocorre durante todo o curso de vida e foi a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos em todo o mundo no ano de 2016. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias. Trata-se de um grave problema de saúde pública. A estimativa da OMS é que pelo menos nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas com educação e campanhas de prevenção.


Segundo a organização, 79% dos suicídios registrados em 2016 ocorreram em países de baixa e média renda. O Brasil é apontado como o 8º país em incidência de suicídios no mundo, com mais de 11 mil registros anuais.


Para enfrentar publicamente as causas e consequências do suicídio, desde 2015, adotou-se, no Brasil, o mês de Setembro como período para se pautar intensamente o tema através da campanha Setembro Amarelo. A iniciativa, do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), tomou como referência o dia 10 de setembro, que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.


A temática também ganhou visibilidade no ambiente universitário, com a ampliação de casos de suicídio de estudantes, técnicos e docentes. No entanto, ainda não há estudos detalhados, que mensurem nacionalmente o problema e aprofundem o debate na comunidade acadêmica.


Uma pesquisa divulgada pelo ANDES-SN e pela Adufpa-Seção Sindical, em 2014, por exemplo, evidenciou que condições de trabalho adversas, oriundas da imposição do produtivismo acadêmico, podem levar docentes ao adoecimento mental.


Onde você pode procurar ajuda?

Centro de Valorização da vida (CVV) Unidade Básica de Saúde (UBS) Centro de Atenção Psicossocial (CAPS)

Em caso de emergências:

Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU)


Se você sentir necessidade de conversar com alguém sobre seus sentimentos e pensamentos, ligue gratuitamente para o CVV no número 188 ou entre no site www.cvv.org.br