A MINERAÇÃO QUE QUEREMOS

I ENCONTRO REGIONAL POR UM NOVO MODELO DE MINERAÇÃO

I JORNADA UNIVERSITÁRIA DE DEBATES NA MINERAÇÃO



Os crimes cometidos pela Samarco (Vale/BHP) em Mariana e pela Vale em Brumadinho, seus assassinatos e a destruição ambiental de proporção jamais vista, o terror vivido nas comunidades ameaçadas pelas barragens, o desemprego em massa nas cidades atingidas, a crise fiscal dos municípios e o completo descaso das empresas em reparar as vítimas. Tudo isso nos traz uma certeza: precisamos de um novo modelo de mineração, que garanta desenvolvimento social, emprego, vida e justiça.


Se depender do interesse das grandes mineradoras e dos governos, em seus mais diferentes níveis, o atual modelo de mineração não irá mudar, mas sim aprofundar, com a flexibilização cada vez maior da legislação ambiental e de segurança do trabalho, irresponsabilidade social e endividamento público, aumento da participação de capital estrangeiro, migração da produção para regiões que garantam mais lucratividade, terceirização e outras formas de aumento da exploração de seus trabalhadores. A mineração segue o caminho do restante da economia nacional, um projeto político e um processo de recolonização, tornando o país cada vez mais desindustrializado, dependente e explorado. Os mais afetados são os operários e o povo pobre, aqueles que são os responsáveis pelos recordes de produção e lucros das grandes mineradoras nos últimos anos.


Aponta no horizonte um futuro sombrio a curto prazo na região mineradora de Minas Gerais. Por isso nossa única saída é apostarmos na força do nosso povo trabalhador e de nossa organização!


Os grandes acionistas, em sua maioria estrangeiros, provaram da forma mais cruel e por mais de uma vez que não tem condições de garantir uma atividade mineradora sem mortes, exploração e miséria. Acreditamos que a alternativa ao atual modelo passa por exigir punição aos responsáveis pelos crimes cometidos, reparação imediata e integral às vítimas, garantia de empregos com estabilidade para todos operários diretos e indiretos, segurança no trabalho e para as comunidades, investimentos sociais nas cidades atingidas e responsabilidade ambiental, e uma mineração estatal sob controle operário e popular, para que as riquezas da exploração mineral sejam investidas em nosso país e em nosso povo, e que sua administração não fique nas mãos de acionistas sanguessugas e nem de políticos corruptos.


Assim, o I Encontro Regional Por Um Novo Modelo De Mineração e a I Jornada Universitária de Debates na Mineração visam construir um espaço de discussão e proposição acerca de um novo modelo de mineração, fortalecendo a articulação entre os sujeitos que vivem no território da Região Inconfidentes e adjacências (Mariana, Ouro Preto, Congonhas, Itabirito, Ponte Nova, Catas Altas, Barão de Cocais, Brumadinho, Belo Horizonte, Nova Lima, Barra Longa, Itabira, Santa Bárbara), impulsionando a construção de conhecimentos e de estratégias para o enfrentamento do atual modelo de mineração que destrói vidas humanas e degrada o meio ambiente.


PROGRAMAÇÃO - 06/11/2019 (quarta-feira)


LOCAL: Auditório do ICSA/UFOP

8:00 – Mística de Abertura

08:30 – Mesa de Abertura e Saudação

09:30 – Mesa: O Modelo de Mineração que queremos

12:00 às 13:30 – Intervalo

13:30 – Grupos de discussão: (salas de aula do ICSA)

Economia, Trabalho e Emprego

Meio ambiente, Biodiversidade e Recursos naturais

Território, Comunidade e Processo de Reassentamento

 16:30 – Exibição documentário. (Hall do ICSA).


LOCAL: Praça Gomes Freire

17: 00 – Cortejo até a Praça.

17:10 às 17:30 – Café cultural, Mística de Encerramento

17:30 – Leitura de documento final (encaminhamentos, sínteses dos GT’s)



Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/2171867052919064/

Confirme sua presença e compartilhe com seus amigos

Horário de funcionamento:
De segunda a sexta, das 9h às 17h.


Telefone: (31) 3551-5247
E-mail: secretaria@adufop.org.br

comunicacao@adufop.org.br

Endereço: R. Antônio José Ramos, 65 - Bauxita, Ouro Preto - MG, 35400-000, Brasil

  • Preto Ícone YouTube

Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação ADUFOP | 2018