Chamada Cultural: Indicação da Semana 4

Texto: O amor é um sentimento digno de vida

Autor: Matheus Matos


O amor é um sentimento digno de vida.

Estamos vivendo, sem dúvidas, o maior desafio da nossa geração. Há uma mistura de conflitos entre as várias concepções de mundo da humanidade. Religião e ciência sempre terão certos conflitos. Com o tempo, quem sabe com muita fé, esses conflitos se acabem. Apenas um teste verdadeiro pode deixar as coisas muito claras. Independente da concepção pessoal de cada pessoa. O mundo pode conviver com a religião e acreditar na ciência como uma maneira óbvia de garantir a existência dos seres humanos. Algumas pessoas precisam do místico para coexistirem com a natureza. Outras não. Mas está ficando claro que a balança não pode pesar para o lado da irracionalidade. Sem a ciência, os desafios da nossa existência nos vencerão. E será o fim. O que aprenderemos de toda essa experiência que estamos vivendo ficará guardado para as próximas gerações e, somente com a dose certa de educação, elas poderão triunfar. Sem isso, cada desafio será devastador para os nossos filhos e netos. Confesso que, pra mim, há uma descoberta em cada momento que vivemos essa experiência. Eu estou sempre angustiado com as mortes que estão acontecendo, com o sofrimento das pessoas menos favorecidas e sem dúvida com o egoísmo que surge claramente em algumas pessoas que são privilegiadas. O que faria aprendermos a respeitar a vida acima de qualquer riqueza? O que seria mais importante do que a existência de uma pessoa? Essas coisas estão vindo a tona de uma maneira devastadora. E isso, com certeza, me faz sofrer. E por isso, certamente, eu lutaria. Eu lutaria pelo direito que as pessoas têm da sua existência. Não sou perfeito, posso estar errando em muitas coisas nessa experiência. Eu simplesmente mergulhei no trabalho e, muitas vezes, sinto que deveria ser mais presente no combate pela vida. É certo que essa quarentena está despertando novamente a poesia que existe em mim. Vejo ela crescendo a cada dia. Trabalho e poesia, ás vezes, parecem não poder coexistir no mesmo ambiente. Já dizia o poeta Sérgio Vaz "rotina é maquina de moer gente". Mas a poesia que vive em mim parece resistente. Eu poderia usar a poesia no combate à ganância do homem. De fato, já o fiz muitas vezes. Mas eu sou só uma semente, no meio de muitas sementes, no meio de um mundo inteiro. Minhas sementes às vezes não vingam. Tem alcance limitado. Não acessa a mente e os corações das pessoas que precisam de conforto da maneira certa. Mas essa é a única arma que tenho para lutar nesse mundo injusto e que avassala a existência da vida. Esse é um texto de momento. De transição. Poesia/Trabalho/Poesia. E eu só queria deixar registrado que sinto muito que milhares de pessoas estejam perdendo suas vidas e que outras tantas esteja perdendo o amor de suas vidas. É um pedaço de mim que vai quando imagino uma criança sem o pai, uma mãe sem seu filho, um homem sem sua mulher e uma mulher sem seu homem. É um pedaço de mim que vai ver tantas pessoas perdendo seus amores. O amor é um sentimento digno de vida. (Matheus Matos)


CHAMADA CULTURAL ADUFOP:

A ADUFOP tem recebido indicações de obras através da Chamada Cultural ADUFOP. A iniciativa tem intuito de ajudar a compreender o momento através da cultura. Faça sua indicação por direct (Instagram) ou encaminhe para o e-mail: comunicacao@adufop.org.br




Horário de funcionamento:
De segunda a sexta, das 9h às 17h.


Telefone: (31) 3551-5247
E-mail: secretaria@adufop.org.br

comunicacao@adufop.org.br

Endereço: R. Antônio José Ramos, 65 - Bauxita, Ouro Preto - MG, 35400-000, Brasil

  • Preto Ícone YouTube

Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação ADUFOP | 2018