Diretoria do ANDES-SN conclama voto em Lula para derrotar Bolsonaro nas ruas e nas urnas


A diretoria do ANDES-SN divulgou, na quarta-feira (5), uma nota direcionada à categoria docente, na qual conclama professores e professoras a "votar em Lula para derrotar Bolsonaro nas ruas e nas urnas!". O posicionamento sobre o segundo turno da eleição para Presidente da República se dá diante da gravidade do momento.


"Nós chegamos ao segundo turno das eleições presidenciais com um cenário difícil para a classe trabalhadora do nosso país. O que temos agora não é mais a ameaça de fascismo como se apresentava em 2018, e sim a confirmação, a legitimação do projeto fascista em curso no Brasil. É muito grave imaginar que as ações do Bolsonaro que foram devastadoras para a vida em suas mais diversas dimensões possam ser aprovadas por quase metade dos eleitores no primeiro turno", afirma Rivânia Moura, presidenta do ANDES-SN.


O documento destaca que o conjunto da obra de Bolsonaro-Mourão à frente da Presidência é dos mais nefastos da história do nosso país: constantes ataques à educação pública, às ciências, ao conhecimento e às liberdades democráticas; degradação das condições de vida da classe trabalhadora; incentivo à destruição dos biomas brasileiros, especialmente da floresta amazônica e seus povos; ataques machistas, racistas, xenofóbicos, capacitistas e LGBTQIAP+fóbicos; pauperização e fome da população, com 33 milhões de pessoas sem ter o que comer; além das 686 mil mortes por Covid-19.


A diretoria do Sindicato Nacional afirma que se posiciona pelo voto em Luiz Inácio Lula da Silva no dia 30 de outubro, pois entende que o contexto eleitoral impactará nas condições de luta, de existência dos Sindicatos. "Chamar o voto no Lula nesse momento significa a defesa intransigente da democracia, significa a possibilidade de continuar existindo enquanto sindicato e significa também compreender que é no campo democrático que as próximas lutas devem ser travadas", explica a presidenta do ANDES-SN.


A nota conclui reafirmando a defesa da autonomia e da independência do Sindicato Nacional frente a partidos e afirma que a entidade e sua base permanecerá em luta, defendendo as pautas da categoria docente e da classe trabalhadora.


"Não estamos abrindo mão da nossa autonomia e independência de classe, continuamos com nossas pautas de reivindicações, com a defesa do nosso projeto de educação pública que inclusive sintetizamos na carta enviada aos presidenciáveis e sendo guiado pelas decisões da nossa base. Temos a certeza de que o ANDES-SN vai continuar firme na luta contra qualquer retirada de direito, contra qualquer proposta de reforma administrativa que quebre nas costas dos trabalhadores e trabalhadoras, contra toda e qualquer medida que ataque a educação pública. Continuaremos nas ruas, mobilizando nossa categoria e construindo a unidade na luta para enfrentar retrocessos em qualquer governo", acrescenta Rivânia.


Fonte: ANDES-SN