top of page

Docentes da UFOP rejeitam a proposta de reajuste salarial do governo

Ontem (25/04), em Assembleia Geral, docentes da UFOP avaliaram a proposta apresentada pelo governo federal, em 19 de abril, durante a Mesa de Negociação de Carreira com o Ministério da Gestão e da Inovação (MGI). As/os docentes rejeitaram, por ampla maioria, a proposta que mantém ZERO% de reajuste em 2024, mesmo com o tímido avanço de 9% em janeiro de 2025 e 3,5% em maio de 2026. Com relação à carreira, o governo não tocou em nenhum dos 13 pontos da proposta do ANDES-SN, restringindo-se à elevação dos steps de 4% para 4,5%.



A Assembleia avaliou que é o momento de disputar o orçamento, visto que, com relação à recomposição da educação federal, não há registro de avanços. O movimento compreende que é hora de avançar na greve e na mobilização, já que em uma semana de greve docente, resultou na convocação de mesa de negociação e uma contraproposta.


Outro ponto discutido foi o Termo de Compromisso 01/2024, que se refere ao reajuste de benefícios (alimentação, saúde e pré-escolar). Apesar deste termo ter sido aprovado por maioria simples, a posição tirada na Assembleia, é que os representantes do Comando Local de Greve (CLG) levem para o Comando Nacional de Greve (CNM) do ANDES-SN, que se realizem críticas aos limites da proposta, como o fato de ser restrito aos trabalhadores da ativa, não serem incorporados ao salário, de favorecem a saúde e a educação privada e por não chegar ao mesmo valor que os trabalhadores do judiciário recebem.



A plenária também aprovou os nomes dos representantes do CLG que irão participar das atividades e das reuniões do CNM. As/os docentes eleitas/os foram: Marlon Garcia (que já se encontra essa semana em Brasília nas atividades do CNM), Joana Amaral, Kathiuça Bertollo e Rodrigo Ribeiro.


Também foram elencados uma série de atividades que o CLG está organizando para as próximas semanas, como debate sobre Carreira, lançamento do livro de Breno Altmann sobre a questão da Palestina, reunião com docentes substitutos, debate com Horácio Machado Aráoz (Prof. Visitante do PPGD/ UFOP / Pesquisador CONICET-Argentina) sobre minério-dependência, dentre outras. Também foram indicadas a necessidade de construção de atos de rua e atividades de pesquisa e extensão como parte das Atividades de Greve.


Com a suspensão dos calendários acadêmicos da graduação e da extensão, assim como a não suspensão dos calendários da pós-graduação e da graduação a distância, o CLG informou que a decisão política de paralisação de todas as atividades se sobrepõe às decisões institucionais. O Comando irá divulgar diretrizes sobre essas questões, assim como o que se considera atividades inadiáveis e o repúdio às afirmações de que haveria acordo de continuidade de atividades de ensino na pós-graduação, antes da reunião do Conselho Superior de Pesquisa e Pós-Graduação (CONPEP), que o CLG se prontificou a participar.




Comments


bottom of page