Garis encerram greve e conquistam reajuste nos salários e alimentação


As e os garis da cidade do Rio de Janeiro encerraram, na sexta-feira (8), a greve iniciada no final de março em defesa de reajuste salarial, de aumento no tíquete alimentação e da implementação do plano de carreira.


Após muita pressão, uma audiência de conciliação foi realizada na última quinta-feira (7) entre o Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro (Siemaco-Rio) e a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), com a mediação do Ministério Público do Trabalho. A reunião resultou em um acordo, com avanços para a categoria.


Foi garantido reajuste salarial em 6%, retroativo a março, mais 2% em agosto e um terceiro aumento residual, baseado na negociação com as demais categorias do funcionalismo público municipal, no segundo semestre. As e os garis conquistaram também aumento do percentual do tíquete alimentação, que passou de 3% para 6%. A empresa se comprometeu, ainda, a concluir a implantação do Plano de Carreiras, Cargos e Salários (PCCS), retroativo a janeiro desse ano e garantiu adicional de insalubridade de 20% para as agentes de preparo de alimentos (APAs).


Greve A greve das e dos profissionais da limpeza teve início no dia 28 de março, mas diante da forte chuva que assolou o Rio, no dia 1º de abril, o sindicato suspendeu temporariamente o movimento paredista. A paralisação das trabalhadoras e dos trabalhadores foi retomada no dia 4. No dia 5 de abril, com faixas e palavras de ordem, centenas de garis realizaram uma passeata do centro até a zona sul da cidade do Rio, em protesto por melhores condições de salário. "Respeitem os Garis!", "Não tem arrego!", foram alguns dos gritos entoados pelas e pelos profissionais da Comlurb.


Durante todo a greve, as trabalhadoras e os trabalhadores se mobilizaram em defesa de seus direitos, mesmo com a Comlurb se mantendo inflexível diante das pautas de reivindicações do Siemaco-Rio. A Prefeitura do Rio também não demonstrou nenhum interesse em resolver o impasse, segundo o sindicato. Fonte: ANDES-SN

Foto: Pedro França, Agência Senado