top of page

Greve docente da UFOP inicia hoje (15) com paralisação de todas as atividades

Foi aprovada na noite de quinta-feira (11/04), em Assembleia Geral ADUFOP, a greve da categoria docente da UFOP por tempo indeterminado. Foram 171 votos favoráveis, 31 contrários e 5 abstenções. A assembleia teve transmissão simultânea em João Monlevade. Mesmo sendo aprovada por contraste, a Diretoria optou pela contagem dos votos e a plenária ovacionou a decisão da categoria. Os docentes somam-se aos servidores técnico-administrativos da UFOP, que iniciaram sua greve também por tempo indeterminado em 25 de março.


Essa greve faz parte do movimento nacional da categoria e de todos os setores da educação pública federal. Neste dia 15, serão 20 seções que estarão em greve docente. A tendência é que o movimento só cresça. 


Na sexta-feira (12/04), a Diretoria da ADUFOP protocolou ofício na Reitoria da UFOP notificando sobre a greve docente. O Comando Local de Greve (CLG) da ADUFOP foi eleito e instaurado ao final da Assembleia e irá se reunir na hoje (15)  para encaminhar os próximos passos do movimento paredista. 


A greve é um direito de todas/os as/os trabalhadoras/es, incluindo docentes substitutos e visitantes. Com a notificação à reitoria, é de conhecimento dos gestores a decisão democrática de TODA A CATEGORIA DOCENTE DA UFOP, sem a exigência de informação individual à administração central. Atividades consideradas essenciais ainda serão analisadas e avaliadas pelo CLG da ADUFOP. 


Para Rodrigo Ribeiro, vice-presidente da ADUFOP, “todas as categorias de trabalhadoras/es do setor da educação do serviço público federal decidiram disputar o orçamento público federal e os rumos da educação, com pautas referentes ao reajuste salarial, recomposição do orçamento e melhoria das condições de carreira e trabalho. A educação pública necessita deste movimento!”.  


Confira a agenda de mobilização:

15/04 - Deflagração de greve da ADUFOP e do ANDES-SN  

Entre 15/04 e 18/04: Jornada de lutas do FONASEFE com atividades em Brasília:

16/04/2024 – Audiência Pública na Câmara Federal;

17/04/2024 – Caravana e Marcha em Brasília das/os servidoras/es;*

18/04/2024 – Atividades setoriais - Perspectiva de construção de Ato no MEC com entidades da Educação. 


*Docentes interessados em participar da caravana devem preencher o formulário: 

Caso o link não esteja aberto, envie um e-mail para comandogreve@adufop.org.br


Principais reivindicações da categoria:

Reestruturação das carreiras dos e das docentes e das técnicas e técnicos administrativos;

Recomposição salarial e pela data base;

Restauração do orçamento das Instituições Federais de Ensino;Ampliação dos programas de assistência estudantil;

Revogação do novo ensino médio;

Melhoria das condições de trabalho;

Fim de assédios moral e sexual nas IFE;

Criação de condições efetivas que garantam a unificação entre ensino, pesquisa e extensão;

Revogação da Portaria MEC 983/2020;

Recomposição da força de trabalho por meio de concurso público;

Revogação da PEC 32/2020 (contrarreforma administrativa);

Autonomia e democracia universitária;

Fim da contribuição previdenciária de aposentados/as e pensionistas.


Principais pautas locais:

Suspensão do calendário acadêmico e discussão mais ampla no retorno, sobre a reposição das aulas (manutenção de período de férias em janeiro e julho); 

Acordo de não realização de corte de ponto e retaliação aos grevistas; 

Construção de condições de estrutura adequada para a Universidade (ensino, pesquisa, extensão, permanência estudantil);

Questionamento de Portarias Internas que têm elevado o trabalho docente;

Avanço no retorno da presencialidade (condições de trabalho e atividades que incentivam este retorno);

Questionamento sobre a utilização de bolsas BDI para substituição do trabalho dos TAEs.


Para esclarecimentos de dúvidas, apresentação de atividades de greve e outras questões, o CLG solicita que encaminhem e-mail para comandogreve@adufop.org.br



Comments


bottom of page