Nota da ADUFOP de repúdio à criminalização das lutas pelo FORA SANEOURO

Atualizado: 7 de nov.

A ADUFOP, por meio de sua Diretoria, vem a público repudiar toda e qualquer criminalização do direito de livre manifestação de seus associados nas lutas de trabalhadores e trabalhadoras.


Assim, repudiamos as falas proferidas pelos vereadores do município de Ouro Preto, Wanderley Kuruzu, Naércio Ferreira e Júlio Gori, contra o professor associado Marcos Calazans, em razão de sua atuação na luta contra a Saneouro e a privatização da água na cidade de Ouro Preto.


Os vereadores, em questão, defenderam a exoneração do professor e criticaram a sua vinculação ideológica. Acreditamos que todos têm o direito de se manifestar, professar ideologias do campo da democracia popular e auxiliar na organização das classes trabalhadoras, ainda que tenhamos divergências táticas e que as resolvamos na articulação unitária.


Além disso, a perseguição à vida funcional do professor se manifesta em perigoso precedente, haja visto a atuação de grupos antidemocráticos que criminalizam os/as trabalhadores/as vinculados/as à universidade pública.


Ressaltamos que a ADUFOP tem apoiado e continuará na luta pelo FORA SANEOURO e pela remunicipalização da água, em razão de entendermos a água como um bem comum essencial à vida, onde não cabe exploração do capital para obtenção de lucro.


Acreditamos que essa luta deve ser organizada de forma unitária, sem a autoproclamação de qualquer grupo. Defendemos que todos os movimentos sociais e dirigentes partidários têm o direito à atuação neste movimento com o intuito de atingir o objetivo da remunicipalização.


Continuaremos no apoio a todas as entidades e organizações que fomentam, de forma organizada e unificada, essa luta.


Ouro Preto, 31 de outubro de 2022.

Diretoria ADUFOP 2021-2023.