Ocupar as ruas para derrotar Bolsonaro e o bolsonarismo nas urnas



Encerradas as apurações do primeiro turno das eleições para os legislativos e executivos estaduais e federal do dia 02 de outubro, deparamo-nos com um complexo quadro que nos coloca em alerta.

O já preocupante avanço da extrema direita se agravou, com aumento do número de senadora(e)s e deputada(o)s federais alinhada(o)s com as pautas ultraneoliberais que caracterizam o bolsonarismo. Nos parlamentos estaduais, o conservadorismo também se manteve ou cresceu. Embora tenham sido eleitas pessoas que representam as mulheres negras, indígenas e a população LGBTQIAP+, as forças políticas nos parlamentos revelam que teremos muitos desafios no próximo período.


A pauta dos chamados “costumes” ganhou força às vésperas das eleições e os resultados para a eleição presidencial surpreendeu negativamente. O percentual de votos na chapa Bolsonaro-Braga Netto cresceu em relação às pesquisas de intenção de votos. O mesmo não ocorreu com a chapa Lula-Alckmin, que se manteve dentro da margem de erro, na faixa entre 48 e 49%.

O cenário da disputa para o dia 30 de outubro mudou frente aos resultados, de forma que reiteramos veementemente a necessidade de estarmos mobilizada(o)s na luta para ‘Derrotar Bolsonaro e o bolsonarismo! Nas ruas e nas urnas!’, conforme o ANDES-SN tem trabalhado desde seu 40º Congresso em fevereiro.


Instamos as seções sindicais a continuarem construindo a luta contra o avanço da extrema-direita no Brasil. Precisamos estar resilientes, atenta(o)s e fortes para os enfrentamentos nas próximas semanas, até as urnas!


Fora Bolsonaro e o bolsonarismo!


Diretoria do ANDES-SN.

3 de outubro de 2022.