Servidores/as sofrem ataques racistas enquanto realizavam ato no Aeroporto de Brasília


Na manhã desta terça-feira (16), servidores/as públicos ocuparam a área de desembarque do Aeroporto de Brasília para iniciar mais uma semana de lutas contra a PEC 32. Entretanto, alguns manifestantes foram vítimas de ataques racistas por parte de um homem presente ao local.

Em um determinado momento da atividade, o indivíduo – ainda não identificado - jogou lixo no local em que Zuleide Queiroz, 2ª vice-presidenta do ANDES-SN, acompanhada de uma banda musical de matriz africana, realizava uma fala de apoio ao movimento negro, Marielle Franco, e contra o genocídio promovido pelo atual governo.


Segundo a vice-presidenta, enquanto realizavam a atividade na área de desembarque do Aeroporto de Brasília, manifestantes sentiram que, do alto, alguém jogava restos de suco, café, entre outras coisas. ‘‘Ao olhar para cima, nos deparamos com um homem branco, raivoso, segurando uma lata de lixo e derrubando todo o lixo na nossa cabeça. Ele simplesmente jogou todo o lixo e saiu andando. Mesmo vendo a atitude do homem, policiais não o abordaram e ele seguiu tranquilamente para fora do Aeroporto. O racismo foi explícito. Ele jogou o lixo em nós, negros/as’’, pondera Zuleide.


Esta é a 10ª semana da jornada de lutas contra a PEC 32 em Brasília e, durante todo o mês de novembro, a mobilização se soma às atividades em celebração ao Mês da Consciência Negra. Esse foi o primeiro ataque sofrido por servidores/as após mais de três meses de mobilização com atos semanais nos aeroportos.


O ANDES Sindicato Nacional repudia o episódio, se solidariza com os/as manifestantes que sofreram o ataque e informa que já solicitou à polícia e à administração do aeroporto as imagens do circuito interno para que o homem possa ser identificado e punido por desempenhar atos racistas.

Não passarão!

Fonte: ANDES-SN, com informações da ADUFC-Sindicato